Artigos

SaaS – O Crescimento no Brasil

Por 5 de outubro de 2015 Sem comentários

Visualizando o infográfico abaixo percebemos que as empresas abraçaram o Software como Serviço (SaaS).

SaaS

Pesquisa do Gartner mostra que 71% da organizações vem utilizando esse modelo por menos de três anos. E aqui uma constatação importante: O Brasil teve o maior número de novos usuários. Entre as empresas entrevistadas, 27% resportaram que adotam o modelo por menos de um ano.

A [SAFEWAY] também oferece o modelo “S-SaaS” – Security Solutions as Servic para que as empresas de qualquer porte tenham acesso aos projetos de segurança utilizando tecnologia de ponta de companhias líderes do mercado.

O serviço, que otimiza os recursos, reduz os custos operacionais e evita perdas causadas pela materialização de riscos de segurança da informação, tem como grande diferencial o foco no negócio, ajudando as empresas a lidar com Segurança da Informação e desenvolver uma visão estratégica para atingir seus objetivos.

“Nossa meta é mostrar para as empresas como as iniciativas de segurança podem agregar valor aos seus negócios e melhorar os resultados globais. Mas tudo isso com uma linguagem de negócio, fazendo com que eles consigam entender as reais necessidades da empresa e facilitar a comprovação de retorno”, afirma Umberto Rosti, CEO da [SAFEWAY].

Com o “S-SaaS”– Security Solutions as a Service, o cliente contratará um diagnóstico completo das pontuais fragilidades da companhia. Caso a implementação do projeto seja aceita, a empresa fica isenta do custo do diagnóstico, o que será cobrado só em caso de não contratação do projeto. No próximo passo, a empresa escolhe os módulos de serviço que pretende atuar, como Information Sensitivity Control, Audit Compliance, Security Baseline, Business Resilience e outros.

O custo será cobrado por usuário ou computador. Ao final do projeto, que pode durar um, três ou cinco anos, a empresa tem a disponibilidade de comprar a tecnologia. Outra possibilidade é a escolha do local da prestação de serviço, podendo ser na própria empresa ou utilizando os servidores da [SAFEWAY].

De acordo com Rosti, a iniciativa de atuar também neste modelo atenderá quase a totalidade de empresas no país, que buscam por inovação e conhecimento de mercado.

“O que percebemos é que as empresas querem e precisam investir em segurança, mas muitas vezes acabam barradas pelo orçamento, pelo fato de não disponibilizarem milhares de reais para compra de uma solução. Com este serviço, as empresas pagarão uma quantidade por mês e terão acesso as melhores tecnologias do mercado, além de justificar e mostrar indicadores ao negócio”, afirma.

 A [SAFEWAY] que atua em todo o Brasil, acredita numa demanda maior do serviço no país, visto que esta é uma tendência mundial.

Deixe uma resposta